SANTA ROSA DE LIMA: MUSEU DO VAQUEIRO

 



MUSEU DO VAQUEIRO

Localizado no distrito de Santa Rosa de Lima, em Jaguarari, o Museu do Vaqueiro foi idealizado por Danilo Rodrigues, que passou a infância brincando e cuidando dos objetos do bisavô e do avô. Esse zelo e o interesse por sua história o fez sair pelas caatingas da região em busca não apenas de artefatos relacionados ao ofício de vaqueiro e, como resultado desses 22 anos de trabalho e pesquisa, o museu hoje possui um acervo com documentos, fotografias, armas, materiais sacro e fósseis pré-históricos, que contam a história e simbolizam a identidade cultural do povo nordestino.
O Museu do Vaqueiro já é grande e está perto de se tornar maior ainda. Mesmo sem a participação do Poder Público (que vez ou outra vem com a ideia de levar o acervo para a cidade de Jaguarari), mas com apoio de amigos e da Mineração Caraíba, Danilo tem conseguindo realizar a reforma do antigo prédio do Mercado de Santa Rosa, que será a sede do museu. Outra alternativa encontrada foi a criação de uma “vaquinha virtual”, que está em andamento com objetivo de obter recursos para continuidade das obras.
Então, vamos contribuir com esse projeto de preservação e valorização da história nordestina, que também contribui no processo educacional e no desenvolvimento econômico da comunidade. O Museu do Vaqueiro é patrimônio de Santa Rosa, de Jaguarari, da região e uma verdadeira riqueza do sertão baiano!
Foto: Danilo Rodrigues
NOTA 1
Sempre digo que foi meu filho, João Pedro, quem me levou a criar o Minha Cidade e que tenho como referência meu avós Ricardo e Teté, dois exímios contadores de histórias. Com o passar do tempo mestres como Hélio Freitas, Raimundo Paiva, Mauro Coelho, Nivaldo Oliveira e Antônio Augusto também passaram a exercer grande influência no meu trabalho. E hoje, se há alguém que posso dizer que tenho como inspiração, esse é o Danilo Rodrigues. Não apenas por sua dedicação, mas principalmente por todo sentimento que ele coloca nessa lida diária em defesa da história, da memória e da cultura de seu povo.
NOTA 2
Em um momento pensei em dar a esta crônica o título: “Museu do Vaqueiro, algo que Bonfim não tem”, só que seria muito injusto. Primeiro porque estaria destacando uma falha que não é exclusiva de Senhor do Bonfim, mas sim da maioria das cidades do interior. Depois, porque o certo é dar ênfase a esse projeto que valoriza de maneira ímpar a cultura e a história local e regional.

Por: Alex Barbosa

Postar um comentário

0 Comentários