O homem que havia fugido do Hospital Antônio Teixeira Sobrinho, em Jacobina, e preso horas depois na cidade de Pindobaçu, foi solto após comprovar sua inocência em relação ao caso da garotinha Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva, de 7 anos, morta  em dezembro de 2015,  na cidade de Petrolina. 

Na tarde de segunda-feira, ele havia buscado atendimento no Hospital Antônio Teixeira Sobrinho, em Jacobina, utilizando o nome  de “Carlos Eduardo”, porém, sem apresentar nenhum documento que comprovasse a sua identidade. 

A atendente do hospital, por precaução, e por sua semelhança com o retrato falado do suposto acusado da morte da menina Beatriz, decidiu acionar prepostos do Centro de Referência de Assistência Social (CREAS), que pediu o suporte da Polícia Militar. Quando os policiais chegaram ao Hospital Antônio Teixeira Sobrinho, o homem ficou assustado e, aproveitando-se enquanto os PM´s conversavam com os atendentes, acabou fugindo, pulando o muro do HATS. 

A Polícia Militar fez rondas, e montou barreiras na entrada da cidade, com o objetivo da capturar o foragido e entender a razão da sua fuga. No final da tarde, na cidade de Pindobaçu, a 70 quilômetros de Jacobina, o homem acabou sendo detido por prepostos da Guarda Municipal. 

Na Delegacia, o homem, que não portava documentos, confessou ser foragido do estado do Ceará, onde teria assassinado a sua esposa.  O crime teria ocorrido em 2018. 

Fonte: Jacobina 24h

Postar um comentário

 
Top