Entenda a situação do jogador, que foi reprovado nos exames de início de ano

Ednei durante a apresentação do elenco do Guarani  — Foto: Carlos Velardi / EPTV
O elenco do Guarani sofreu a primeira baixa antes mesmo do início do Campeonato Paulista.
Em nota divulgada na tarde desta segunda-feira, o clube alegou problemas físicos e anunciou a saída do zagueiro Ednei. A situação força a diretoria a 
voltar ao mercado em busca de uma peça de reposição a dois dias da 
estreia contra a Inter de Limeira, às 19h15 de quarta, no Major Levy Sobrinho.
Segundo o comunicado, o jogador "não conseguiu se recuperar de uma 
lesão preexistente" e deixou o Bugre "em comum acordo com a diretoria".
O zagueiro, por sua vez, diz que ele ainda não tinha assinado contrato
 com o clube e que tem uma proposta do mundo árabe para seguir a
 carreira fora do Brasil.
- Eu ainda não tinha um contrato assinado com o Guarani, mas só um pré-contrato. Isso se deu devido à lesão que eu estava. Então cheguei a um 
acordo. Nos primeiros dias, eu me trataria e, assim que estivesse com condições, poderia assinar contrato. Neste período, acabou surgindo oportunidade muito boa para fora - afirmou Ednei à Rádio Bandeirantes, 
de Campinas.

Entenda o caso

De acordo com informações apuradas pela reportagem do 
GloboEsporte.com, o zagueiro estava em tratamento para corrigir um desequilíbrio muscular e uma lesão na coxa direita.
Por conta disso, Ednei foi reprovado nos exames
 de início de ano, quando o departamento médico
 bugrino observa aproximadamente 45 critérios 
em três dias de avaliações, entre exames clínicos,
 laboratoriais e testes funcionais.
Sem o aval médico, o atleta não pôde assinar contrato - o que também 
explica a ausência do nome dele no Boletim Informativo Diário (BID) 
da CBF. Ficou acordado entre as partes, então, que Ednei seguiria se recuperando até reunir condições de firmar vínculo.
Ele chegou a iniciar o processo de recondicionamento físico na semana passada, mas o entendimento do departamento médico era que, para resguardar o clube e também a comissão técnica, era necessário um
 período maior para liberá-lo.
Diante do cenário, Ednei procurou a diretoria com o argumento de que 
tinha uma outra proposta. Também foi consenso entre diretoria e 
comissão técnica do Guarani de que a saída era o melhor para os 
dois lados, como explicou o técnico Thiago Carpini à Rádio Central, 
de Campinas:
- Eu sou um cara tão otimista que vejo uma situação negativa como
 positiva. Em 2019 tivemos vários problemas que chegaram e já foram
 para o departamento médico. A gente não precisa cometer os mesmos
 erros. Foi uma decisão tomada com muita lucidez. A gente sentou, 
conversou e viu que não valeria a pena correr esse risco. Era uma 
lesão considerável, em um campeonato de tiro curto, perderíamos
 muito tempo.
Um dos primeiros reforços anunciados pelo Bugre para 2020, o 
zagueiro estava no Cuiabá em 2019, onde trabalhou ao lado do 
superintendente Michel Alves. Sem Ednei, Carpini fica com quatro 
defensores no elenco principal: Bruno Silva, Romércio, Leandro 
Almeida e Pedro Moraes.

Por GloboEsporte.com — Campinas, SP
Reações:

Postar um comentário

 
Top