Rafael Soares, de 28 anos, foi preso em flagrante e falou com a imprensa na tarde desta segunda-feira (19), na delegacia. Vítima está internada e tem estado de saúde estável
Rafael Soares, de 28 anos, esfaqueou a ex-companheira na manhã desta segunda (Foto: Alan Alves/ G1)
O açougueiro Rafael Soares, de 28 anos, preso em flagrante após golpear a companheira com 17 facadas dentro do Hospital Martagão Gesteira, em Salvador, onde a vítima acompanhava a filha de 11 meses internada com câncer, relatou que foi ao local com intenção de matar a mulher por ciúmes, porque desconfiou que ela estivesse o traindo.
Ele foi apresentado pela polícia, na tarde desta segunda-feira (19), na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), em Brotas, e ainda destacou que não se arrepende do crime. “Eu fui pra matar, e a sorte é que ela está viva. Se ela está viva, ela dá graças a Deus. E não estou nem um pouco arrependido”, disse o homem à imprensa.
Rafael foi levado para unidade policial logo após a tentativa de homicídio, que ocorreu na manhã desta segunda, dentro da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. Conforme a polícia, o homem entrou no local alegando que iria substituir a companheira, a dona de casa Alana de Oliveira, de 24 anos, para que ela pudesse ir para casa, enquanto ele ficaria com a filha de 11 meses, que está internada há 70 dias.
Logo após desferir as facadas em Alana, Rafael foi contido por seguranças do hospital e, após a chegada de uma equipe da Polícia Militar, foi conduzido para a Deam. Alana, segundo a polícia, convive com Rafael há nove anos e tem três filhos com ele — todos menores de idade. A faca usada no crime foi apreendida pela polícia.
Faca usada no crime foi apreendida e apresentada pela polícia durante coletiva de imprensa (Foto: Alan Alves/ G1)
Rafael Soares relatou no depoimento que já vinha há algum tempo desconfiando de uma suposta traição da mulher. “Ele disse que descobriu que ela estava traindo ele é que, por isso, foi hoje ao hospital premeditado, já com intenção de matá-la. Lá [no hospital], não houve nenhum tipo de discussão. Ele esperou a enfermeira sair da unidade, da UTI, e desferiu as facadas. Ele é claro no depoimento: diz que foi realmente com intenção de tirar a vida dela”, disse a delegada Aída Burgos.
Conforme a polícia, o suspeito, que tinha o costume de ir visitar a filha na unidade médica, relatou que levou a faca para o local dentro de uma mochila. “Ele pegou a faca na casa da mãe, na cozinha, sem que ela percebesse. A mãe não sabia de nada. Depois, colocou dentro da mochila e foi para o hospital premeditado a matar, motivado por ciúmes”, disse Aída.
O suspeito foi denunciado por tentativa de feminicídio e será encaminhado para audiência de custódia. A polícia disse que já pediu à Justiça a conversão da prisão em flagrante dele em prisão preventiva, sem prazo para expirar.
*G1 BA
Reações:

Postar um comentário

 
Top