Esporte de Patos sofre gols aos três e aos 27 minutos do primeiro tempo, após duas falhas de Andrezon. Ao fim, time perde por 3 a 0 e está quase rebaixado do Paraibano

Foram os 29 minutos mais longos da carreira do goleiro Andrezon. O jogador do Botafogo da Paraíba, que desde o ano passado jogava por empréstimo no Esporte de Patos como forma de dar rodagem ao atleta, passou na noite desta quarta-feira pelo seu pior momento na carreira. Defendendo o Esporte no Quadrangular do Descenso do Campeonato Paraibano de 2016, numa fase que vai definir os dois rebaixados do estadual, ele cometeu duas graves falhas, sofreu em consequência disto dois gols e acabou substituído logo após o segundo gol. E tudo isto com menos de meia hora de primeiro tempo.
esporte de patos, venícius ninão, goleiro (Foto: Reprodução / TV Paraíba)Ao fundo, Andrezon deixa o campo cabisbaixo; à frente, Venícius Ninão entre no lugar do titular 
(Foto: Reprodução / TV Paraíba)
A partida era contra o Auto Esporte e reunia os dois piores clubes até o momento no chamado “torneio da morte”. O Auto até então tinha apenas um ponto e o Esporte ainda não tinha pontuado, e ambos estavam na zona de rebaixamento. Era uma terceira rodada (de seis no total) que, quem perdesse, ficaria bem perto do rebaixamento. Para completar o cenário sombrio, os dois clubes estão com salários atrasados e só receberam parte do primeiro de três meses que já deveriam ter sido pagos.
O mais curioso no jogo é que o primeiro gol sofrido por Andrezon foi logo aos três minutos de jogo, no primeiro lance de ataque da partida. Bruninho subiu pela lateral e cruzou despretensiosamente na área. Andrezon saiu para segurar a bola, se atrapalhou, e a soltou dentro da área, nos pés de Isac Buiú, que colocou para dentro. Aos 27, novo lance. Bruninho bateu falta na direção do gol, o goleiro espalmou para frente, para dentro da área, e Ítalo marcou o segundo, no rebote, com o gol livre.
O time perdeu a cabeça depois de tudo isto. (...) Substituí o goleiro porque ele não tinha mais condições psicológicas de jogar" 
Marcos Nascimento, técnico do Esporte
Dois minutos depois deste novo gol, ele deixava o campo. Era substituído por Venícius Ninão, o goleiro reserva. Ia direto para o vestiário e deixaria o estádio antes mesmo do fim do jogo e sem dar entrevistas.
Só se posicionaria nesta quinta-feira, pelas redes sociais, e para dizer que não seguiria no clube:
-  Hoje estou me despedindo desse time. Um clube que abriu as portas para mim. Sou muito grato a ele por tudo e aos torcedores que me acolheram muito bem - resumiu.
De forma mais serena, o técnico do clube falou sobre a partida que pode ser decisiva para o rebaixamento:
- O time perdeu a cabeça depois de tudo isto. Foi uma partida atípica. Os gols, da forma como aconteceram, abalaram todo o nosso setor defensivo. Substituí o goleiro porque ele não tinha mais condições psicológicas de jogar – destacou Marcos Nascimento, o técnico do Esporte de Patos.
Ele classificou o primeiro gol como sendo uma “falha incrível” e disse que a segunda falha já foi consequência da primeira. Mas tentou evitar que a culpa recaísse em apenas um nome.
Marcos Nascimento, treinador do Esporte de Patos (Foto: Reprodução / TV Paraíba)Marcos Nascimento avisa que só joga a toalha quando não tiver mais chances matemáticas
(Foto: Reprodução / TV Paraíba)
- Quando um acerta, acertam todos. Quando um erra, erram todos. Andrezon foi peça importante no nosso acesso, ano passado, e já jogou muito bem em outras oportunidades. Não podemos condená-lo e culpá-lo individualmente – prosseguiu.
Na classificação atual, o Atlético de Cajazeiras tem agora nove pontos, Auto Esporte e Santa Cruz-PB têm quatro pontos e o Esporte segue zerado. Os dois últimos colocados estarão rebaixados, e segundo Nascimento as chances de se evitar isto são mínimas após mais uma derrota. Mas ele avisa:
- Só jogo a toalha quando não há mais chances.
O goleiro reserva, Venícius Ninão, tentou não criar polêmicas. Falou que estava triste pelo erro do colega e não quis opinar sobre quem será o titular no próximo jogo, deixando as escolhas para o treinador.Ele, contudo, não evitou que o Auto marcasse mais um gol e fechasse o placar em 3 a 0:
- Tomei só um gol, mas não falhei. Gostei do meu desempenho – sugeriu.
O Esporte tem mais três jogos pela frente para tentar ultrapassar ao menos dois rivais e se livrar da queda. Esta fase reúne os dois piores clubes de cada grupo da primeira fase do Campeonato Paraibano. Todos jogam contra todos e os dois piores caem para a segunda divisão. Se a competição terminasse do jeito que está hoje, Santa e Esporte cairiam. 
esporte de patos, venícius ninão, goleiro (Foto: Reprodução / TV Paraíba)Venícius Ninão entrou aos 29 minutos de primeiro tempo, após três falhas do titular (Foto: Reprodução / TV Paraíba)

Reações:

Postar um comentário

 
Top