Ela foi designada para atuar na Companhia Docas do Estado de São Paulo.
Ex-candidata a Miss seria assessora especial do presidente da companhia.

Daniele foi designada para atuar como assessora do presidente da Codesp (Foto: Rafael Antônio/BDR/Divulgação)Daniele foi designada para atuar como assessora na Codesp (Foto: Rafael Antônio/BDR/Divulgação)
A ex-dançarina do cantor Latino Daniele Elise Rodrigues foi exonerada do cargo de assessora da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). Ela havia sido indicada para o cargo na segunda-feira (11), mas foi retirada nesta sexta-feira (15), antes mesmo de assumir a função, após grande mobilização de sindicatos envolvidos com a questão portuária.
Daniele é natural de Santa Catarina, também atua como modelo e foi dançarina do cantor Latino até o ano de 2013. Além disso, ela também já foi candidata a Miss Itajaí, cidade que fica no litoral de Santa Catarina, mas acabou perdendo a disputa.
Ex-Latinete acabou sendo exonerada do cargo (Foto: Rafael Antônio/BDR/Divulgação)Ex-Latinete acabou sendo exonerada do cargo
(Foto: Rafael Antônio/BDR/Divulgação)
De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport) João de Andrade Marques, Daniele ficaria na cidade de Laguna, que também fica no litoral catarinense. “Ela foi designada para o cargo no dia 11 e destituída nesta sexta-feira (15) mesmo. A vaga de assessora que ela estava ocupando cabe ao presidente da Codesp, mas ela ficaria em Laguna”, explica.
Já o presidente da Sindaport, Everandy Cirino dos Santos, afirma que a Codesp precisa impor limites para nomear profissionais para seus cargos e que irá enviar uma denúncia ao Ministério Público. “Imediatamente após termos ficado sabendo da nomeação fizemos um contato informal e publicamos uma matéria em nosso site. Eu encaminhei um texto para um advogado do sindicato solicitando um parecer para encaminhar uma denúncia ao MP. Independente do cancelamento nós iremos acionar o ministério porque foi um fato confirmado e depois cancelado, o que, a meu ver, caracteriza má fé”, conclui.
Ainda segundo Cirino, as indicações de pessoas de fora da Codesp sempre foram vistas de forma negativa pelos empregados. Em nota, o Sindaport afirma que a nomeação revoltou a categoria já que ela não teria nenhuma experiência. De acordo com o sindicato, vários funcionários têm procurado o local afirmando estarem humilhados e frustrados com a nomeação, o que teria contribuído para a exoneração de Daniele.
G1 entrou em contato com a Codesp na manhã deste sábado (16) para obter uma resposta oficial sobre o assunto. Até o fechamento desta reportagem, não houve retorno. Daniele Elise Rodrigues não foi localizada pela reportagem para falar sobre o assunto.
G1
Reações:

Postar um comentário

 
Top