A cidade registrou dois casos de Microcefalia e Agentes de Saúde enfrentam dificuldades além dos constantes atrasos de salário.

O descaso da Prefeitura de Monte Santo e da Secretaria de Saúde do Município com relação ao combate ao mosquito Aedes Aegypti chegou a um nível alarmante! e não foi por falta de avisos pois há pouco mais de um ano o site Montesanto.net iniciou uma campanha através de várias matérias para alertar sobre a urgência do combate ao mosquito, muito antes do surgimento das temidas doenças Chicungunha, Zika Vírus e Microcefalia, mas o que observamos em todo esse período foi um total abandono do Gestor Municipal e da Secretária de Saúde sobre o assunto que acabou causando o inevitável. Em dezembro de 2015 a cidade de Monte Santo figurou entre as 5 cidades de todo o Estado da Bahia com mais casos de Zika Vírus e está em primeiro lugar se comparado ao número de habitantes, perdendo apenas para grandes cidades como Salvador, Feira de Santana e Camaçari.  Este número alarmante e a total falta de comprometimento com o combate do mosquito fez ocorrer o inevitável, já que as autoridades locais fecharam os olhos para o problema.

MONTE SANTO REGISTRA OS PRIMEIROS CASOS DE MICROCEFALIAA SESAB (Secretaria de Saúde do Estado) divulgou nesta semana o boletim de casos de microcefalia na Bahia que saltou de 312 para 366, dados de um curto período entre outubro de 2015 até o dia 30 de janeiro de 2016. Segundo a SESAB dos 366 casos suspeitos, foram notificados 10 óbitos. Entre esses casos suspeitos estão 71 Municípios do Estado da Bahia sendo um deles o Município de Monte Santo está dentre os com maior número de casos tendo registrado até o 148 de Chikungunya, 1789 de Zika Virus, 221 de Dengue e 2 Casos de Microcefalia, fazendo parte da lista de cidades com a tríplice epidemia ( mais de 100 casos das três arboviroses). vale ressaltar que na lista de 71 Municípios em que figura a cidade de Monte Santo, não estão presentes os Municípios circunvizinhos como Euclides da Cunha; Cansanção. Uauá, Quijingue, Itiúba; Andorinha, Nordestina e nem Queimadas. Seria apenas uma coincidência ou é a confirmação do descaso com a Saúde Pública das Autoridades Municipais em Monte Santo? Com a palavra a Secretaria Municipal de Saúde.

É considerado microcefalia o nascimento de bebês com perímetro cefálico menor ou igual a 32 centímetros. A presidenta Dilma Rousseff fez nesta quarta-feira, 03/02, às 20h20 em cadeia de rádio e televisão, pronunciamento oficial para pedir apoio de todos os segmentos da sociedade civil e Governos Federal, Estadual e Municipal para combater o mosquito Aedes Aegypti, antes conhecido como o mosquito da Dengue, mas que também transmite Chicungunha e Zika. 

Agentes Comunitários de Saúde confirmam descaso
Os Agentes Comunitários de Saúde estão enfrentando sérias dificuldades para desenvolverem suas atividades de forma satisfatória, especialmente pelo agravamento da situação que já era gritante de infestações de mosquitos transmissores das doenças: Dengue, Chicungunha e Zika com a chegada das chuvas. Um relato de um desses profissionais, preocupado com a situação de seus colegas que eram em número de 30 e que esse número era considerado muito pequeno para um Município tão grande agora contam com apenas 22 mesmo diante dessa situação desesperadora e pior ainda: Toda a Equipe já diminuída enfrenta a falta de meios de mobilização para efetivar as ações nos Bairros da Cidade e nos Povoados e fazem uma denúncia, o único transporte para os Agentes e alguns equipamentos é um utilitário Strada que ao invés de servir aos Agentes de Saúde fica em mãos do atual Diretor do Hospital Municipal Monsenhor Berenguer, e os agentes passam por humilhações para poder utilizar um veículo que deveria ser de uso exclusivo para a área de Endemias, ficando assim impossível o deslocamento dos Agentes de Endemias para os povoados por conta dessa .

O quadro da saúde pública é gravíssimo, isso sem contar que durante a epidemia de dengue, Chicungunha e Zika a maioria das pessoas procuraram as farmácias da cidade para adquirirem medicamentos por conta própria já que tinham até medo de irem ao Hospital e acabarem contraído alguma infecção hospitalar ou voltar pra casa sem atendimento por falta de médicos.

Descontentes, os Agentes de Saúde, justo neste momento delicado encontram-se com os salários desfalcados, tendo revelado esse Agente de Saúde que o aumento salarial concedido aos funcionários com remuneração acima do Salário Mínimo não contemplou esses verdadeiros heróis da saúde pública e estão há dois anos recebendo o piso salarial nacional e nenhum aumento nesse tempo todo. Revelou ainda nossa fonte que são descontados 8% (oito por cento) de contribuição previdenciária, mas que quando puxam o CNIS percebem que esse valor não está sendo repassado para o INSS, e por muitas vezes os agentes tiveram que paralisar suas atividades para reivindicar seus direitos ou por conta de atrasos nos salários.

A população de Monte Santo reclama sobre a falta da presença constantes do agentes de saúde, um morador relatou  que a 6 meses não recebe a visita de um agente em sua casa, e também não vê nenhuma ação de combate ao mosquito por meio do “fumacê”, o que deixa muitas mulheres apreensivas sobre o risco de contrair a doença de microcefalia em bebês recém nascidos na cidade, e a triste realidade é que muitas mulheres já estão evitando o máximo a gravidez até que a cidade possa sair da vergonhosa lista de risco com alto nível de infestação do mosquito.        

O que se vê e não é de agora, com tantas denúncias com relação a atual gestão e a inércia da Câmara de Vereadores em fiscalizar o poder público, os números de casos de Zika, Dengue, e Microcefalia podem ser ainda maiores dos anunciados e só tendem a crescer se nenhuma campanha de combate ao mosquito e valorização dos agentes de saúde for iniciada de forma emergencial pela secretaria de saúde do Município.

Fonte: Montesanto.net com dados do Sesab, SINAN/DIS; FORMSUS e planilhas paralelas/SMS
*http://www.montesanto.net/
Reações:

Postar um comentário

 
Top