Sidney de Moraes acredita que a escola perdeu muitos pontos no quesito fantasia por conta da atitude de Ju Isen: "Isso não condiz com o carnaval"

A escola de samba Unidos do Peruche está de cabeça erguida para o próximo carnaval, mas a mágoa por conta da atitude da musa da direita Ju Isen ainda não passou. Ao iG, o presidente da escola, Sidney de Moraes, afirma que a escola foi prejudicada pelo protesto da modelo, que tirou sua fantasia em pleno desfile e fez um topless na avenida.
Ju Isen foi expulsa do desfile da Unidos do Peruche por tirar a fantasia na avenida
Reprodução
Ju Isen foi expulsa do desfile da Unidos do Peruche por tirar a fantasia na avenida
"A atitude que essa moça teve não condiz com o carnaval, ela acabou errando e prejudicando muito a escola. Ela não era da comunidade, era apenas uma oportunista de plantão, que apareceu com a finalidade de desfilar e fazer o que ela fez", desabafou Moraes.
Ele também conta que não conversou com Ju após o desfile e que ela "sumiu" depois do ocorrido. Segundo o presidente, ele só tomou consciência do que havia acontecido no fim do desfile: "Como eu ainda estava anestesiado com o desfile eu não tomei nenhum tipo de atitude. Depois com calma, a gente parou e analisou o que podia nos prejudicar. Nossas notas de fantasia foram muito baixas e nossas fantasias não estavam nessa situação."
Sidney acredita que a finalidade da "peladona" era apenas ter seus cinco minutos de fama: "Ela saiu rasgando fantasia. A finalidade dela era fazer muito mais, era sair na pista para que todo mundo pudesse fotografá-la. Poderia ser um estrago bem maior, poderiamos tomar pau não só de fantasia mas também de evolução".
Ele também relata que Ju Isen já havia criado problemas durante os ensaios, e que a fez assinar um documento que determinava que caso ela tomasse uma atitude semelhante, a escola entraria com um processo contra ela.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
A Unidos do Peruche terminou o carnaval em 12º lugar e por pouco não foi rebaixada para o grupo de acesso, fechando a apuração com 7 décimos acima da Pérola Negra, que teve 264. A escola homenageou os 100 anos do samba em seu desfile, enredo que também foi a base para a apresentação da Mocidade Alegre, que terminou em terceiro lugar.Apesar de todos os problemas, o presidente diz que não pretende entrar na justiça contra a musa anti-Dilma e que ela acabou se queimando no mundo do samba, sendo que nenhuma outra escola irá querer ela em seus desfiles de agora em diante. Ele também reconhece que a modelo não foi a única razão do fraco desempenho da escola, uma vez que houve outros problemas. "Temos que consertar o que erramos e agradecer essa oportunidade que tivemos de nos manter no grupo especial. Agora é bola para frente e pensar no próximo trabalho", diz.
O presidente da escola conclui dizendo que o caso está esquecido: "Poderia ter sido pior. Agora a vida segue. Vou torcer para que ela seja feliz e vamos tentar ser felizes do nosso lado".
Relembre os desfiles das escolas de samba de São Paulo:
Mestre-sala e porta-bandeira da Leandro de Itaquera . Foto: Divulgação/SPTuris
Desfile da Leandro de Itaquera, que falou sobre a Copa do Mundo no Brasil . Foto: Divulgação
A Leandro de Itaquera abriu o carnaval paulistano. Foto: Divulgação/SPTuris
Andressa Urach desfilou com os seios de fora pela Leandro de Itaquera. Foto: Claudio Augusto
Mestre-sala e porta-bandeira da Rosas de Ouro com fantasias de Capitão América e Mulher Maravilha - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
Personalidades representadas na comissão de frente da Rosas de Ouro - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Claudio Augusto
Desfile da Rosas de Ouro, que falou sobre todas as fases da vida do homem - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação
Ellen Roche, rainha de bateria da Rosas de Ouro - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Claudio Augusto
Carro alegórico da X-9 Paulistana . Foto: Divulgação/SPTuris
Gracyanne Barbosa, rainha de bateria da X-9 Paulistana. Foto: Claudio Augusto
Carro abre-alas da X-9 Paulistana, que falou de loucura . Foto: Divulgação/SPTuris
Ala das baianas da X-9 Paulistana. Foto: Divulgação
Freddy Krueger em carro alegórico da Dragões da Real - primeira noite de desfiles em SP. Foto: Divulgação/SPTuris
A ex-BBB Cacau, musa da Dragões da Real. Foto: Divulgação/SPTuris
A Dragões da Real, que falou sobre o futurismo dos filmes dos anos 198 - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
Ala da Dragões da Real - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
Carro-alegórico da Acadêmicos do Tucuruvi - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
A bateria da Acadêmicos do Tucuruvi - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
Livia Andrade, madrinha de bateria da Acadêmicos do Tucuruvi - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Claudio Augusto
Monstros na comissão de frente da Acadêmicos do Tucuruvi, que falou sobre o universo infantil - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
'O Pensador', de Rodin, em carro-alegórico da Vai-Vai - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
Mestre-sala e porta-bandeira da Vai-Vai. Foto: Divulgação/SPTuris
A Vai-Vai falou sobre a cidade de Paulínia - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
Passistas da Vai-Vai - primeira noite de desfiles em São Paulo. Foto: Divulgação/SPTuris
Carro alegórico da Acadêmicos do Tatuapé. Foto: Claudio Augusto
Rainha da Acadêmicos do Tatuapé com fantasia de R$ 80 mil. Foto: Orlando Oliveira/AgNews
O carro abre-alas da Tom Maior, que teve problemas para entrar na avenida. Foto: Claudio Augusto
A comissão de frente da Tom Maior, última escola a entrar na avenida na primeira noite. Foto: Divulgação/SPTuris
A ala dos turistas da Tom Maior, que cantou sobre Foz do Iguaçu. Foto: Claudio Augusto
Destaque da Tom Maior. Foto: Divulgação/SPTuris
Carro da escola Pérola Negra. Foto: Claudio Augusto
Lorena Bueri, madrinha da Pérola Negra. Foto: Claudio Augusto
Águia de Ouro. Foto: AgNews
Cinthia Santos, madrinha da bateria da escola Águias de Ouro. Foto: Thaís Aline/ Agência Fio Condutor
Carro alegórico da Império da Casa Verde. Foto: Claudio Augusto
Musa da Império de Casa Verde. Foto: AgNews
Carro alegórico da Mocidade Alegre. Foto: Claudio Augusto
Aline Oliveira, rainha de bateria da Mocidade Alegre. Foto: Orlando Oliveira/AgNews
Mestre-sala e porta-bandeira da Leandro de Itaquera . Foto: Divulgação/SPTuris
1/38
Reações:

Postar um comentário

 
Top