Segundo Jackson, entre os funcionários demitidos estão pessoas com 20 a 35 anos de profissão.

Rachel Pinto
A fábrica de pneus Pirelli, unidade de Feira de Santana, demitiu no ultimo final de semana dezesseis funcionários. Jackson Crispim Ramos, presidente do Sindborracha informou ao Acorda Cidade sobre as demissões e o posicionamento do sindicato diante da situação.
Segundo ele, devido ao cenário nacional as empresas automotivas estão tendo um grande desabastecimento. "Tem muito produto, mas as pessoas não estão comprando. Então a empresa veio a demitir esse final de semana 16 pessoas”, disse.
Segundo Jackson, entre os funcionários demitidos estão pessoas com 20 a 35 anos de profissão. “São colegas com 20 anos a 35 anos de trabalho. Nós do sindicato, achamos que foi uma arbitrariedade da empresa e que não houve critério para a demissão”, afirmou.
O presidente do Sindborracha relatou que o sindicato vai agir juridicamente, procurar o Ministério do Trabalho e outros órgãos, com o objetivo de barrar as demissões. Ele contou que a Pirelli alegou o absenteísmo (ausência de funcionários do local de trabalho) e altos custos, inclusive dos planos de saúde dos funcionários.
“Ela tem o direito de demitir, mas também tem o dever de manter o emprego, manter a sociedade informada sobre o porquê das demissões. O sindicato está tomando todas as providências para que se mantenha o emprego das pessoas e explique para a sociedade o que vem acontecendo. A Pirelli alegou absenteísmo muito alto, mostrou os números de quase 8% ao mês e os custos altos com plano de saúde”, destacou.
Ainda segundo Jackson, a Pirelli é a empresa que mais lesiona funcionários na região de Feira de Santana e esse mês foram registrados dois acidentes graves com funcionários. Ele ressaltou também que em dezembro do ano passado 43 pessoas foram demitidas pela empresa.
Com informações e fotos do repórter do Acorda Cidade Ed Santos.
Reações:

Postar um comentário

 
Top