Com um legado incrível, Rogério entra em campo pela última vez em amistoso entre campeões mundiais pelo São Paulo

Rogério ergue a taça de campeão Mundial pelo São Paulo.
Divulgação/São Paulo FC
Rogério ergue a taça de campeão Mundial pelo São Paulo.
Um dos maiores símbolos do futebol brasileiro, maior ídolo da história do São Paulo, recordista em diversos quesitos e maior artilheiro de sua posição, Rogério Ceni entra em campo nesta sexta-feira, a partir das 21h, no Morumbi, em um amistoso que reunirá jogadores campeões mundiais pelo São Paulo e que marcará a aposentadoria do goleiro da sua carreira profissional depois de 26 anos.
Nascido em Pato Branco, no Paraná, o goleiro que começou a carreira no Sinop-MT em 1989, onde foi campeão estadual, e logo no ano seguinte se transferiu para o São Paulo onde criou uma carreira onde atingiu todos os limites para defender por 25 anos o clube onde criou uma verdadeira história de amor.
Vitorioso desde as categorias de base, Rogério assumiu a posição de titular em 1997 e não mais deixou o posto, conquistando a torcida com defesas espetaculares e com o grande diferencial de marcar gols. Foram 131 marcados pelo clube, se tornando o 10º maior artilheiro da história, a frente de jogadores como Raí, Friedenrich, Careca, Pedro Rocha e Canhoteiro.
Campeão Mundial, da Libertadores, do Brasileirão, do Rio-São Paulo e Paulista, o goleiro foi campeão em todas as esferas possíveis pelo clube que ele tanto amou e, mais do que isso, foi correspondido.
Se aposenta com 42 anos (completa 43 em janeiro) e 1237 partidas jogadas com a camisa do São Paulo, sendo que foram 19 temporadas consecutivas como titular.
Na partida desta sexta, um time formado pelos campeões mundiais de 1992/1993 enfrentam a geração campeã de 2005. O time que venceu na década de 1990 será dirigido por Renê Santana, filho do técnico Telê Santana que dirigia o time, e auxiliado por Muricy Ramalho, enquanto o time tricampeão será dirigido por Paulo Autuori e Milton Cruz.
Raí está confirmado na despedida de Rogério. Meia foi capitão do título de 1992
Reprodução
Raí está confirmado na despedida de Rogério. Meia foi capitão do título de 1992
Entre os confirmados da festa estão Zetti, Vitor, Adilson, Ronaldão, Ronaldo Luís, Pintado, Toninho Cerezo, Cafu, Raí, Müller, Doriva, Juninho Paulista, Válber, Dinho e Elivelton pelo time de 1992/93 e Aloísio Chulapa, Luizão, Lugano, Amoroso, Souza, entre outros grandes nomes campeões em 2005, time que contará com Rogério Ceni, titular, capitão e melhor jogador do torneio que completa 10 anos no próximo dia 18. No título de 1993 o goleiro era reserva de Zetti na disputa em Tóquio.
A principal ausência fica por conta do meia Danilo, camisa 10 na conquista, que hoje defende o Corinthians e alegou respeito ao atual clube para recusar o convite.
A expectativa da direção do São Paulo é de que 60 mil torcedores compareçam ao estádio na noite desta sexta para se despedir do ídolo.
A partida acontece no palco que Rogério chama de casa. Ao chegar do Mato Grosso o goleiro morou no estádio enquanto defendia as categorias de base e, até hoje, mantém sua residência na região.
Ao final da noite, a tristeza do torcedor do São Paulo será pela despedida de um jogador que quebrou barreiras, mas que sempre irá levar alegria ao coração daqueles que sempre respeitou, amou e defendeu durante 25 anos e, por mais que hoje se encerre todas as contas, sempre estará na página 01 da história do clube.


Reações:

Postar um comentário

 
Top