Levantamento do Mapa da Violência comparou a taxa de violência contra a mulher em 83 países

A modelo e dançarina Ana Carolina de Souza Vieira assassinada pelo ex-namorado Anderson Rodrigues Leitão em São Paulo
Treze mulheres são assassinadas por dia no Brasil. Um terço delas, como a modelo Ana Carolina de Souza Vieira, são mortas pelos atuais ou ex-companheiros(Facebook/Reprodução)
Na última quarta-feira, o corpo da modelo Ana Carolina de Souza Vieira foi encontrado no apartamento em que ela morava no Sacomã, na zona sul de São Paulo. Ela tinha sido estrangulada pelo ex-namorado. Todos os dias, treze mulheres têm o mesmo destino de Ana Carolina: a taxa de 4,8 assassinatos de mulheres para cada 100.000 habitantes coloca o Brasil na quinta colocação do ranking mundial desse tipo de crime, atrás apenas de El Salvador, Colômbia, Guatemala e Rússia.
Ranking de mulheres assassinadas em diferentes países
(VEJA.com/VEJA)
O retrato desse cenário está noMapa da Violência 2015: Homicídio de mulheres no Brasil, elaborado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e lançado nesta segunda-feira. Ele mostra que nos últimos dez anos o número de mulheres assassinadas passou de 3.937 para 4.762, um crescimento de 21%. Uma em cada três desses crimes foram cometidos por atuais ou ex-companheiros.
O modo como as mortes de mulheres ocorrem também reflete o peso da violência doméstica: menos da metade delas é por armas de fogo, e 27% acontecem dentro de casa. No caso dos homens, 73% são assassinados com armas, e apenas 10% na própria residência. As mortes de mulheres por estrangulamento ou com uso de objetos cortantes são duas vezes mais frequentes do que as masculinas, o que, segundo especialistas, indica os chamados "crimes de ódio".
VEJA
Número e taxa de mulheres assassinadas
(VEJA.com/VEJA)
O relatório também compara os índices de assassinatos em todos os estados brasileiros de 2006 a 2013. A escolha da data não foi aleatória: 2006 foi o ano em que entrou em vigor a Lei Maria da Penha, que tinha o objetivo de diminuir a violência contra a mulher. Quando se trata dos assassinatos, os números são desanimadores. Em apenas cinco estados (Rondônia, Espírito Santo, Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro), as taxas diminuíram. Em Roraima, chegaram a quadruplicar. Na Paraíba, triplicaram.
FONTE: VEJA.COM
Reações:

Postar um comentário

 
Top